sexta-feira, março 13, 2015

O Minha Casa + Colorida agora tem também o cheiro bom de neném

E depois de quase 4 meses, eu voltei! Estava com uma saudade danada do meu refúgio colorido virtual. =) Eu tenho a impressão, escrevendo esse post, que têm anos que eu não venho aqui. O motivo? Bem, como muitos já sabem, nasceu o meu primeiro filho, o Antônio, o meu solzinho, o meu amor maior e o mais genuíno. Desde que ele chegou, os meus dias são inteiramente dedicados a ele. Eu decidi viver a maternidade ativamente e tem sido assim desde que cheguei em casa, com o meu menino nos braços e o meu coração explodindo de felicidade.
Agora eu digo:
- Eu tenho a minha família.
Eu e o Fabrício deixamos de ser um casal com cachorros e nos tornamos uma família de verdade. Temos o nosso menino. Menino esse que tem preenchido nossos dias com uma alegria infinita. E de um amor que parece não caber no peito, de tão grande que é. Vivemos um transbordar de felicidade. E tem sido lindo demais tudo o que temos vivido, sabe? Esse momento família full time. Todos juntos, vivendo as descobertas, o mundo novo que surgiu desde então. Tão mais colorido. O Antônio nos mostrou que existe uma paleta de cores que jamais imaginávamos que pudesse existir. E, por conta disso, só agora eu consegui voltar.
As primeiras semanas foram de muito aprendizado e intensas, o Fabrício e eu, muito antes do Antônio nascer, decidimos não ter uma babá, nem sogra, nem mãe, nem amigos, ninguém, nos ajudando nesse início (uma escolha pessoal, nada contra quem escolhe um caminho diferente). É que queríamos saber tudo sobre o nosso filho, sozinhos. Queríamos conhecer todos os choros, os resmungos, os suspiros e as necessidades do nosso menino, sem intervenções. Eu queria poder cuidar de tudo junto com o Fabrício, como sempre foi durante toda a minha gestação.
Foi exaustivo? Em muitos momentos. E eu estaria sendo leviana se dissesse o contrário. Tanto é verdade que em alguns (poucos momentos) eu me permiti chorar à noite, quando íamos dormir ou durante o banho. Era um choro de cansaço e de medo, de não saber se o que estávamos fazendo era o melhor para ele, realmente. Mas hoje, quando me lembro de tudo que passamos, eu vejo que, por mais cansativo que tenham sido esses primeiros dias, nós não podíamos ter escolhido por algo mais lindo para nós, para a nossa família. Crescemos tanto como pais. E hoje eu sei que ninguém conhece o Antônio melhor do que nós dois nesse mundo.
Sobre a amamentação? Bem, amamentar tem sido umas das coisas mais belas que a maternidade tem me proporcionado. Não tem emoção igual saber que eu sou a única fonte de alimento do meu filho. Quero ter por muito tempo esse vínculo com meu solzinho: vivenciar a troca de olhares, o toque macio da sua mãozinha no meu rosto e ver o sorriso dele depois das mamadas...

Bem, durante esse período, eu recebi mensagens de muitas leitoras desejando saber detalhes sobre o meu parto. Pediam um post sobre. Mas sabe? Depois de muito refletir sobre o assunto, eu percebi que por mais que eu tentasse escrever, eu nunca, nunca mesmo conseguiria descrever em palavras o que eu senti quando tive o Antônio nos meus braços pela primeira vez. Não haveria relato, nem foto, nada, nada mesmo que fosse capaz de contar o que vivi e que senti no momento. Então, me limito a dizer apenas que foi tudo muito melhor do eu desejei. E como não seria? Afinal, o Antônio nasceu! E chegou me ensinando que o amor tem outro significado. Que ele é muito melhor e muito maior do que eu era capaz de sentir.
Hoje, depois de quase 4 meses  em que ele nasceu, às vezes eu paro para pensar em tudo que já vivemos juntos e me parece que sempre o tive aqui comigo. Que ele sempre foi o meu filho amado e que eu nunca tive uma vida sem ele. É como se eu tivesse começando a viver no dia em que ele nasceu.
Desde que ele chegou eu me considero uma pessoa mais abençoada. O meu menino me fez uma mulher em total plenitude.
E sim, todos os dias eu agradeço ao Fabrício pelo maior presente que recebi em vida. E por todos os meus dias eu agradecerei a Deus por esse milagre divino chamado Antônio. 

  Um pouco do que temos vivido por aqui...





Beijos, 
Mari.

12 comentários :

  1. Lindo texto, dá vontade de ir aí abraçar essa família linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oxe! Que querida. Pois se sinta abraçada, querida. Beijo.

      Excluir
  2. Que post lindo Mari! O Antonio é lindo! Que esse solzinho brilhe cada dia mais. Felicidades.

    bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Geh! Ele é um solzinho que ilumina tudo por aqui. Beijo.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Obrigada, Beth querida, pelo carinho sempre.
      Beijo meu e do solzinho pra você.

      Excluir
  4. Mari este é uma momento emocionante. Viva-o intensamente, com Antônio (já te disse que meu filho também é Antonio?), nós entenderemos sua audiência.
    Beijo duplo, um em ti e outro no pequeno.

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo!!
    Mari, e os familiares não se chatearam pela escolha de vocês de cuidar do Antonio sozinhos?
    Pergunto, pois aqui em casa também gostamos de ter a nossa independência, mas gostam de saber de tudo e opinar... Fico temerosa quando tivermos um filho...risos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Juciany. Tudo bom? Olha, aqui não tivemos resistência nenhuma. Fomos muito sinceros, desde o inicio, mas fizemos isso com muito respeito e cuidado, para não magoar ninguém. Foi a melhor decisão. Deu tudo certo. =)

      Excluir

Obrigada por deixar a minha casa mais colorida! =)